sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Vá lá fora e viva

Se você tem medo de algo, leia esse post até o fim, porque ele é pra você.


Eu não entendo pessoas que se deixam tomar pelo medo. Pessoas que preferem não agir, com medo das consequências. Não falo de momentos de loucura. Falo de decisões da vida.

Pessoas que temem o sofrimento, as dificuldades, ou até a felicidade em si.

Como será que essas pessoas sabem que estão vivas? Será que sabem? Será que elas têm consciência do quanto são patéticas?

E você? Você tem consciência do quanto você é patético? Você vive de fato ou só segue nessa inércia ridícula comumente confundida com vida, apenas pelo fato de estar respirando?

Eu presenciei isso recentemente. Minha decepção foi tamanha, mas esperada. Raiva? Senti. Mas acho que o que eu senti ainda mais foi pena.

Pena. Pois é. Eu, ao menos, sempre caio de cabeça nas minhas decisões. Não temo meus sentimentos, não temo nenhuma entidade divina, não me prendo a bens materiais e por esses aspectos me considero livre. Sou livre até não querer ser mais. Até querer abrir mão disso pelo amor. A maior burrice da vida que eu aceito e admito com o maior prazer. Sim, eu abro mão da liberdade pelo amor, e apenas por ele.

Mas não são todos que pensam (ou se sentem) assim. As pessoas tem medo, e não se dão completamente. São pessoas presas. Não são livres. E só saberão ser felizes no dia em que forem livres, e abrirem mão da liberdade. Irônico, não? Para ser feliz, primeiro você precisa ter a liberdade, e abrir mão dela. Só há coragem na liberdade.

Há quem se lembre dos meus posts sobre o medo. Eu mesmo não tinha a compreensão que tenho agora sobre esse assunto. Pois é. A decepção e o sofrimento ensinam, isso não se pode negar.

Você só vai ter essa vida.


''Só quando abrimos mão de tudo é que estamos livres para fazer qualquer coisa.''

Um comentário:

@tehquintela disse...

Clube da Luta,eu senti hein.
'As vezes é precisamos sangrar um pouco para percebemos que estamos vivos.'