quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Coisas da Maturidade Incompleta

(Quando você não é criança, mas também não é um adulto completo)


É fácil perceber as intenções das pessoas pela linguagem corporal e tom de voz; você percebe rapidamente quando alguém está se fazendo; commpromisso deixa de ser o ponto mais alto possível da sua vida amorosa; você percebe que todas as suas decisões têm motivações ou financeiras ou sexuais; apesar de nem sempre ser assim, você sente que sua liberdade é ilimitada; você explora todas as oportunidades que aparecem e isso às vezes complica sua vida, mas você não se sente mal por isso; você procura sentido em todas as coisas; você entende melhor coisas que você não entendia antes; seu gosto musical passa a ser mais receptivo; seu senso crítico se torna mais afiado e mais consciente; sua percepção se torna mais afiada, assim como a sua intuição; você percebe o valor da amizade na sua vida e o quanto você superestimava o valor de um compromisso; você jura pra você mesmo nunca mais superestimar ninguém; se ninguém te entendia antes, agora não está melhor; dia após dia você luta pra não fazer aquela loucura que você tanto quer fazer; ficar bêbado não tem mais tanta graça, você quer fazer as loucuras da sua própria vontade; ninguém te manipula mais; você já não evita as aproximações dos outros, conversar não machuca; você já não ri de coisas que antes você considerava ''o seu tipo de humor''.


Nada mais me ocorre no momento. Se algo de interessante vier, ou se vocês tiverem sugestões, comentem ou me contactem pelo twitter: @heitorpas. Obrigado :)


Essa é apenas a minha visão.


Obs: Esses dias, eu e a minha inteligente amiga Mayara (@mayaragabaldi) começamos um novo blog. É um projeto ainda em desenvolvimento, mas gostaria muito do apoio de vocês. O link é Plástico Inoxidável.

Nenhum comentário: