terça-feira, 17 de agosto de 2010

Mediocridade

Esse post faz um paralelo com alguns posts anteriores.


Nada segura mais a humanidade do que a mediocridade. O ''pequenismo'' mental, por assim dizer. A falta de vontade de conhecer, de ir além, de ousar, de querer mais.
A mediocridade surge do não-encorajamento e do não-desenvolvimento mental. Se a pessoa não se desenvolve como ser humano, tende a ser mesquinho, egocêntrico e medíocre. Explicarei como esse processo se dá e quais as consequências.


A família e a escola são as responsáveis por desenvolver o indivíduo. Se a família não tem essa consciência e a escola não tem um trabalho que valorize isso, a pessoa fica com esse ''pequenismo mental'' e nunca pensará no plano maior.


Que meus concidadãos me perdoem, mas aqui no interior do estado isso é muito comum. As pessoas aqui estudam, fazem uma faculdade qualquer, casam e passam a vida cuidando de filho e pra eles só isso tá bom demais, é o limite da vida. Eles não pensam em fazer diferença, em ir além. Não valorizam nenhum tipo de consciência, seja ela cultural, social, política... É deprimente.


As consequências desse tipo de mediocridade são: o surgimento de ''movimentos'' patéticos, a maioria de cunho musical, tais como burguês-rock (leia-se Restart), sertanejo, por aí vai; inconsciência política, como já foi dito, que implica irresponsabilidade (inclusive desinteresse) em participar das decisões políticas, como as eleições¹; a manutenção dos problemas da sociedade, afinal, se não há interesse, não tem mudança; entre outros.


Acho que, como sempre tento ser, fui bem claro e objetivo nesse post. Qualquer dúvida ou coisas que queiram falar comigo, fiquem a vontade pra comentar, os comentários são abertos a todos. Obrigado por lerem :D

Um comentário:

Anônimo disse...

_Diga ou cite pelo menos uma forma de fazer esses descerebrados brasileiros entenderem que suas ações diárias ou escolhas políticas,influenciam no futuro de cada um...
:*